- CURSO JORGE AMADO 2017 –
VII COLÓQUIO DE LITERATURA BRASILEIRA

A Academia de Letras da Bahia e a Fundação Casa de Jorge Amado promovem o Curso Jorge Amado 2017 – VII Colóquio de Literatura Brasileira nos dias 07 a 10 de novembro deste ano. A ALB, desde 2011 incluiu o referido evento ao seu calendário oficial de cursos.

Horário Academia de Letras da Bahia
17:00

Abertura Oficial

Evelina Hoisel

Presidente da Academia de Letras da Bahia

17:15

Conferência

18:00

Lançamento do livro

Jorge Amado - Dona Flor e seus dois maridos

Horário Academia de Letras da Bahia
14:00

Sessões de comunicações 1 e 2

16:40

Feira de livros

17:00

Depoimento

17:40

Mesa Redonda

17:40

.

17:40

.

19:00

Lançamento do livro

Horário Academia de Letras da Bahia
14:00

Sessões de comunicações 3 e 4

16:40

Feira de Livros

17:40

Mesa Redonda

17:40

.

 



Antonia Torreão Herrera

Ainda assim, toma seu destino em suas mãos: a Rainha Vashti em linha convergente com Antígona

17:40

.

Cássia Costa Lopes

Elogios da amizade: uma leitura de Myriam Fraga

17:40

.

Evelina Hoisel

A poesia revisitada

17:40

.

Lígia Guimarães Telles

Entre a realidade e o sonho, a ilha

19:00

Lançamento do livro

Horário Fundação Casa de Jorge Amado
16:00

Encerramento

16:30

.

17:00

Apresentação musical e coquetel

* Cada sessão de comunicação contará com a apresentação de trabalhos de pesquisadores, previamente inscritos e selecionados, que terão 15 minutos para fazer sua exposição. Ao final, terá início uma sessão de perguntas e respostas.
Evelina Hoisel

Evelina Hoisel

Academia de Letras da Bahia

Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Letras pela Universidade Federal da Bahia (1970) , mestrado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1979) e doutorado em Letras (Teoria Literária e Literatura Comparada) pela Universidade de São Paulo (1996) . Atualmente é professor titular da Universidade Federal da Bahia, Membro de corpo editorial do Inventário (UFBA), Membro de corpo editorial da Ipotesi (UFJF), Membro de corpo editorial da Revista Outros Sertões, Membro de corpo editorial da Revista Outros Sertões, Membro de corpo editorial da Miscelânia, Membro de corpo editorial da Miscelânia, Membro de comitê assessor da (FAPESB) Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia e Membro de corpo editorial da Boletim de Pesquisa NELIC (on-line). Tem experiência na área de Letras , com ênfase em Teoria Literária. Atuando principalmente nos seguintes temas: Literatura e Biografia, Teoria Literária, João Guimarães Rosa, Grande sertão veredas. Fonte: Currículo Lattes
Edilene Mattos

Edilene Mattos

UFBA (Universidade Federal da Bahia)

Edilene Matos é doutora em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Fez Pós-Doutorado em Literatura Brasileira na USP (São Paulo) . Tem Pós-Doutorado em Poéticas da Voz pela Université Paris-Ouest Nanterre La Défense. Foi Professor Doutor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Foi, também e por um longo período Diretora do Departamento de Literatura da Fundação Cultural do Estado da Bahia. Atualmente, é profa. da Universidade Federal da Bahia e Coordenadora do Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade, além de Presidente da ABRAVOZ (Associação Brasileira de Pesquisadores da Voz). Publicou dezenas de artigos em periódicos especializados (ex:Uma lição de amigos DO Leitura, SP, 2001; Um canto para Cecília Meirelles ao som do cravo, Revista Ângulo, Lorena, 2001; Comentário à entrevista de Villa-Lobos concedida a Antonio de Alcântara Machado (Villa-Lobos e o Folclore Nacional, SP, DO Leitura, 2001) Possui vários capítulos de livros (ex: La nature comme personnage.Confontation entre Eros et Thanatos. In: Ensayos Semióticos (domínios, modelos y miradas desde el cruce de la naturaleza y la cultura, México, Miguel Angel Porrua ed, 2000 e 8 livros publicados (ex: O boquirroto de megafone e cartola -RJ, Manatti Editora, 2004 -; Castro Alves Imagens fragmentadas de um mito – SP, EDUC/FAPESP, 2000 -; Minelvino Francisco Silva – SP, Hedra, 2000 -Ele, O tal, Cuíca de Santo Amaro – Salvador, Secretaria de Cultura, 1998, Notícias de um boquirroto Possui itens de produção técnica. Participou de vários congressos no Brasil e no exterior. Atua na área de Cultura e Arte,, com ênfase em Cultura Brasileira. Em suas atividades profissionais interagiu com colaboradores em co-autorias de trabalhos científicos.
Antonia Torreão Herrera

Antonia Torreão Herrera

UFBA (Universidade Federal da Bahia)

Possui graduação em Licenciatura em Letras Vernáculas com Francês pela Universidade Federal da Bahia (1969), graduação em Bacharelado em Letras Vernáculas com Francês pela Universidade Federal da Bahia (1970), Mestrado em Letras pela Universidade Federal da Bahia (1980) e Doutorado em Letras (Teoria Literária e Literatura Comparada) pela Universidade de São Paulo (1996). Atualmente é Professora Associada da Universidade Federal da Bahia. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Teoria Literária, atuando principalmente nos seguintes temas: teoria literária, crítica literária, literatura comparada, criação literária e escrita criativa, literatura dramática, e teoria e critica. Lidera há mais de dez anos o grupo de pesquisa coletivo O escritor e seus múltiplos: migrações no Instituto de Letras da Universidade Federal da Bahia.
Cássia Costa Lopes

Cássia Costa Lopes

UFBA - Universidade Federal da Bahia

Professora e pesquisadora nas áreas de Letras e Artes Cênicas. Desde 1996, ensina e pesquisa no Instituto de Letras da Universidade Federal da Bahia, onde ocupa o cargo de Professor Associado III, em regime de dedicação exclusiva. Compõe o corpo docente do Setor de Teoria da Literatura e ministra disciplinas na graduação e na Pós-Graduação, com ênfase em Teoria Literária e Literatura Dramática, atuando principalmente nos seguintes temas: dramaturgia, estudos pós-coloniais, artes cênicas, literatura comparada, criação literária e literatura/ música. Possui graduação em Licenciatura em Letras Vernáculas pela Universidade Federal da Bahia (1989), mestrado em Letras e Linguística pela Universidade Federal da Bahia (1995). Concluiu o doutorado em novembro de 2007, no Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas, com estágio de doutoramento realizado na Universidade de Coimbra, sob a orientação do Prof. Dr. Boaventura de Sousa Santos. É autora dos livros " Um olhar na neblina: um encontro com Jorge Luis Borges”, 1999, “Rumor das Horas”, 2009 e “Gilberto Gil: a poética e a política do corpo”. Perspectiva/Coleção Estudos/2012. É docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas (PPGAC) e do Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura do Instituto de Letras da UFBA. É membro do conselho editorial da Revista Repertório, dos Cadernos GIPE/CIT e do conselho editorial da EDUFBA. (Fonte : Lattes)
Lígia Guimarães Telles

Lígia Guimarães Telles

UFBA - Universidade Federal da Bahia

Possui graduação em Licenciatura em Letras Vernáculas com Alemão pela Universidade Federal da Bahia (1970), graduação em Bacharelado em Letras Vernáculas pela Universidade Federal da Bahia (1975), mestrado em Letras pela Universidade Federal da Bahia (1979) e doutorado em Letras pela Universidade Federal da Bahia (2000). Atualmente é Professor Associado IV da Universidade Federal da Bahia. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Teoria Literária e Literatura Comparada, atuando principalmente nos seguintes temas: Judith Grossmann, crítica literária, crítica biográfica, ficção e lírica.
Paulo Dourado

Paulo Dourado

UFBA

Um diretor cuja atividade é caracterizada pela diversidade de áreas de atuação. Em quase 35 anos de produção artística, foi diretor, roteirista, adaptador, iluminador, cenógrafo, dramaturgo, diretor musical e produtor de um grande número de espetáculos, audiovisuais e eventos. Além disso, é ainda professor da Universidade Federal da Bahia, tendo sido diretor da Escola de Música e Artes Cênicas e da Escola de Teatro da UFBA. Ainda na UFBA, foi Assessor do Reitor para Extensão, Coordenador de Arte e Cultura da UFBA, Coordenador da Tv UFBA e membro de diversos Conselhos Superiores, Comissões e Colegiado de Cursos. Tem participado de várias instituições culturais como o SATED – Sindicato dos Artistas e Técnicos da Bahia (de que é fundador), o Instituto Röerich de Arte/Educação e Cultura da Paz, e a Fundação Casa de Jorge Amado entre outras. Publicou um livro (Manual de Cri-Atividades – 4 edições) e atua como articulista e colaborador em vários periódicos, publicações e outros projetos de arte-educação, teatro e cultura. Seja em dimensão camerística ou épica, o trabalho de Paulo Dourado caracteriza-se, não apenas pela busca de profissionalismo e elaboração artística, mas, sobretudo, por ser um empreendimento cujo objetivo principal é o de incorporar uma função social para a produção artística, enquanto valor relevante e fator de desenvolvimento para as sociedades contemporâneas.